terça-feira, 29 de março de 2011

O Amor é contagioso? - Patch Adams

"Não concordo com 'rir é o melhor remédio'. Eu nunca disse isso. É a mesma razão pela qual tantos estudantes de medicina comparecem às minhas palestras, loucos por poder praticar medicina com amor".

Hunter "Patch" Adams é um médico norte-americano  famoso por pregar o sentimento de cuidar. Ao contrário do que muitos acham, a base de sua medicina não é fazer rir. É cuidar, ser carinhoso, é contagiar o ambiente e torná-lo agradável. Envolve cuidar da qualidade de vida do indivíduo.
"Deixem os hospitais para lá, todo lugar público aonde for ,desde o momento em que acorda com a família, a caminho do trabalho, no metrô, em… onde quer que esteja, você pode escolher ser um cidadão que traz alegria para a sociedade. É muito mais do que se concentrar… Muitos palhaços fazem isso. Eles têm a roupa de palhaço, na maleta. Entram no hospital, vão se trocar, vão para a ala infantil - muitas vezes nem passam para brincar com os enfermeiros - brincam com as crianças, tiram a roupa de palhaço, guardam e voltam para casa. Para mim, estão desperdiçando todos os outros momentos lindos."
Patch critica o mundo pelo que ele se tornou. Tem vergonha do patriotismo norte-americano que necessita sentir-se sobre tudo. Propõe que não são só as crianças e pacientes que precisam de companhia, cuidado. Os profissionais que estão lá, diariamente, também precisam de atenção. O ambiente pode ser agradável sem um palhaço ali. Todos os seus conceitos partiram do ponto de vista médico, mas alcançaram patamares além da medicina. No Brasil, diversas ONG's e iniciativas de profissionais da saúde realizam trabalho semelhante. Sempre há um pequeno grupo que concorda que a alegria e a qualidade de vida são tão fundamentais quanto os medicamentos. De que adianta a cura física sem tratar da tristeza psicológica?
O verdadeiro Hunter "Patch" Adams
Cientificamente falando, todos os profissionais da saúde conhecem o efeito placebo. Acreditar naquilo pode fazer a diferença. Com a qualidade de vida é o mesmo. Ela, por si só, melhora a aceitabilidade do paciente para com a sua situação, enfrentando um tratamento melhor. Lógico, com o avanço das pesquisas os tratamentos atuais estão sempre mais próximos do esperado, mas a contribuição do bem estar é tão relevante quanto suas disposições fisiológicas.

Finalizando, uma reflexão de Patch sobre o termo "rir é uma terapia":
"Quero corrigir a idéia de que rir seja uma terapia. Também nunca penso em música como terapia, nem em arte, nem em dança. Nunca precisam da palavra “terapia”, que é pequena para ajudar. A arte não precisa de ajuda da palavra “terapia”. É a cultura humana. Não fazemos terapia de cultura. Se estamos saudáveis, fazemos cultura. Para mim, humor é contexto".


Trechos retirados de uma entrevista de Patch Adams ao RodaViva, da Tv Cultura, em 2007. Para o texto completo, clique aqui.

Um comentário:

Blog do Lucas disse...

Vi esse filme! E SHOW...............muito bom!

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...